Correio do Minho

Braga, sábado

- +
UMinho conseguiu preencher 98,4% das vagas disponíveis
Município de Fafe assinala Dia Internacional da Prevenção do Cancro de Mama

UMinho conseguiu preencher 98,4% das vagas disponíveis

Famalicão lança estratégia para a habitação no concelho

UMinho conseguiu preencher 98,4% das vagas disponíveis

Ensino

2020-09-28 às 06h00

Patrícia Sousa Patrícia Sousa

Hoje arranca a 2.ª fase de acesso ao ensino superior. Medicina, Engenharia e Gestão Industrial e Engenharia Biomédica da Universidade do Minho tiveram média de entrada superior a 18 valores. IPCA com taxa de ocupação de 99% e IPVC com 375 vagas disponíveis para a 2.ª fase.

Quase 51 mil alunos conseguiram uma vaga na primeira fase do Concurso Nacional de Acesso ao Ensino Superior, tendo ficado de fora cerca de 12 mil estudantes. A Universidade do Minho (UMinho) preencheu 98.4% das vagas disponibilizadas.
A UMinho colocou a concurso 3155 vagas, mais 240 do que no ano anterior. Em reacção a estes resultados, já publicada na edição de ontem do jornal Correio do Minho, o reitor congratulou- -se, confirmando que se tratam de “excelentes resultados”. Rui Vieira de Castro foi peremptório: “a UMinho vê assim confirmada, uma vez mais, a confiança dos candidatos ao ensino superior na qualidade dos seus cursos”.

Geologia, Química, Engenharia Têxtil e Protecção Civil e Gestão do Território foram os únicos cursos que não atingiram o número de vagas disponíveis. O curso com mais inscritos é o de Engenharia Informática com 181 candidatos admitidos, seguindo-se Engenharia e Gestão de Sistemas de Informação (150), Medicina (120) e Direito (112). Os restantes cursos têm, cada um, menos de 100 candidatos admitidos.
Em 95% dos cursos oferecidos, a classificação do último candidato admitido foi superior à do ano transacto. Em três cursos - Medicina, Engenharia e Gestão Industrial e Engenharia Biomédica a classificação mínima de entrada foi superior a 18 valores.

Destaque ainda para o Colégio D. Diogo de Sousa, em Braga. “Os resultados eram previsíveis. Tivemos mais de 90% dos alunos a ingressar na 1.ª opção, o que é fantástico, e mais de 70% dos alunos ingressaram com mais de 18 valores, o que é notável”, confidenciou o administrador do estabelecimento de ensino, António Araújo, referindo que não teve nenhuma classificação abaixo de 14 valores.
“Tudo isto se deve ao resultado dos exames nacionais, que em quase todas as disciplinas ultrapassaram os exames internos”, lembrou o administrador, garantindo que estes resultados são fruto de “um intenso trabalho no colégio e do acompanhamento que as famílias dão aos filhos”.

Apesar da missão estar “a ser cumprida”, o Colégio D. Diogo de Sousa quer chegar aos 100% dos alunos a entrar na 1.ª opção, tornando-se assim “pessoas livres ao escolher o curso e a universidade”, defendeu.
Nesta 1.º fase concorreram mais de 62 mil alunos e quase 51 mil já têm um lugar garantido numa instituição de ensino superior. Hoje arranca a 2.º fase do concurso e as instituições têm, pelo menos, 6.050 vagas.

IPCA com taxa de ocupação de 99%

Os resultados da 1.ª fase do Concurso Nacional de Acesso aos cursos de licenciatura para o ano lectivo 2020/2021 reforçam a posição do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA) no panorama do ensino superior com uma taxa de colocação de 99%.
Das 715 vagas oferecidas, o IPCA ocupou 706 após a 1.ª fase, o que representa uma taxa de colocação de 99% e um aumento de 70 estudantes face ao ano anterior. A elevada procura pelos cursos do IPCA é também marcada pelo elevado número de candidatos, tendo recebido mais de 3810 candidaturas para as 715 vagas.
De realçar ainda o aumento das notas de acesso na generalidade dos cursos do IPCA, o índice de satisfação e a taxa de ocupação de 100% nos cursos em regime pós-laboral.

A presidente do IPCA, Maria José Fernandes, destaca a continuidade numa “estratégia que aposta na qualidade e na diferenciação” da oferta formativa, “fortemente alinhada” com as necessidades do tecido empresarial, e que se reflecte nestes excelentes resultados. “A mensagem que queremos passar é de esperança de que esta situação pandémica se vai resolver; de responsabilidade, pois precisamos da consciencialização de todos no combate à mitigação e de oportunidade para inovar e estimular a aplicação de novas práticas pedagógicas”, refere.
Os resultados estenderam-se aos cursos em regime de pós-laboral, tendo todos os cursos deste regime ocupado 100% das vagas disponíveis.

O Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC) conta com 375 vagas disponíveis para a 2.ª fase.

No entanto, os cursos de Enfermagem Veterinária, Engenharia informática, Gestão, Turismo, Design de Produto, Organização e Gestão Empresariais, Contabilidade e Fiscalidade, Marketing e Comunicação Empresarial e Desporto e Lazer já preencheram todas as vagas.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho