Correio do Minho

Braga,

- +
Utentes de lar não infectados transferidos para hospital particular
Alto Minho aposta no turismo equestre

Utentes de lar não infectados transferidos para hospital particular

Bombeiros Voluntários querem ter empresas como sócias

Utentes de lar não infectados  transferidos para hospital particular

Cávado

2020-03-31 às 06h00

Patrícia Sousa Patrícia Sousa

Miguel Costa Gomes, presidente da Câmara Municipal de Barcelos, assegurou que utentes e profissionais do Centro de Apoio e Solidariedade da Pousa (CASP) fizeram ontem os testes à Covid-19. Este caso é “mais difícil” do concelho.

Depois de cinco idosos e quatro funcionárias do Centro de Apoio e Solidariedade da Pousa (CASP) ficarem infectados com Covid-19, o presidente da Câmara Municipal de Barcelos anunciou ontem que os não infectados serão transferidos para uma unidade hospitalar privada.
Miguel Costa Gomes, que falava ontem durante uma conferência de imprensa por videoconferência, assumiu que o CASP “não tem condições internas, tanto a nível físico como de pessoal”, para garantir o necessário isolamento.
“Neste momento, estão no local bombeiros e enfermeiros do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) Cávado III para efectuar os testes aos utentes do lar que ainda não fizeram nenhuma análise”, relatou o autarca. E Miguel Costa Gomes garantiu: “só após o resultado das análises estamos em condições de evacuar os cidadãos que não estão infectados. Vamos retirar esses utentes do lar e colocá-los numa unidade hospitalar privada logo que seja conhecido o resultado dos testes”.
No passado domingo, o presidente da direcção do CASP, Joaquim Pereira, disse à Lusa que já estavam contabilizados cinco idosos e quatro funcionárias infectados com Covid-19. De destacar que os cinco utentes que testaram positivo estão em isolamento na instituição e assim deverão continuar se permanecerem, como actualmente, “está- veis”. Os restantes 19 utentes mantinham-se assintomáticos.
Das 31 funcionárias, e ainda segundo Joaquim Pereira, só “menos de meia dúzia” estava ao serviço. Das restantes, quatro estão em casa após terem testado positivo para a Covid-19 e as outras ou apresentam sintomas da doença, ou estão em quarentena, incluindo as duas enfermeiras da instituição.
Segundo o presidente da Câmara Municipal de Barcelos, o caso da Pousa é, em termos de instituições, o “mais difícil” no concelho, uma vez que evoluiu “de uma forma muito rápida”.
Nas restantes 26 instituições do concelho, assegurou o autarca, está “tudo sereno”. No concelho, há 650 utentes em lares, contando-se ainda 646 em centros de dia e 444 que têm apoio domiciliário. Entretanto, o Município de Barcelos vai pagar equipamento de protecção individual adquirido pelas IPSS’s.


Pavilhão Municipal de Barcelos usado pelos profissionais de saúde

O Pavilhão Municipal de Barcelos está há já alguns dias sob a alçada do Hospital Santa Maria Maior. “O hospital solicitou o espaço e, nesta fase, está a ser ocupado apenas para que todos os profissionais de saúde daquela unidade hospitalar possam ali mudar a roupa, antes de ir para o hospital e depois para ir para casa”, informou ainda o presidente da Câmara Municipal de Barcelos, Miguel Costa Gomes, durante a conferência de imprensa realizada ontem por videoconferência.
A nível distrital, garantiu ainda Miguel Costa Gomes, que também é o responsável pela Comissão Distrital da Protecção Civil, está tudo “perfeitamente articulado”.
“Na passada semana, a comissão reuniu e pedi a todos os presidentes dos municípios para estarem presentes. Só não esteve, por impedimento próprio, o presidente da Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto”, confirmou. Miguel Costa Gomes garantiu que “todos os municípios estão solidários e o que for preciso accionar a nível distrital vai ser”. E o presidente exemplificou: “há ambulâncias de Barcelos que já foram ajudar outros concelhos no transporte de cidadãos não infectados”.
Há regras que são necessárias cumprir no âmbito dos planos de emergência. “Mas, se eventualmente houver solicitação dos municípios, seremos solidários naturalmente. Tudo isso será articulado em conjunto com a Protecção Civil do distrito”, garantiu ainda o também presidente daquela entidade distrital.

O Município de Barcelos criou ontem uma espécie
de call center, com número directo, para os presidentes de junta de freguesia pela proximidade que têm com a população.
Está ainda disponível, desde hoje, uma linha telefónica para auxiliar os munícipes em todas as questões ligadas à Covid-19.
O número é o 253 809 655 e está disponível todos os dias (incluindo sábados e domingos), entre as 8 e as 20 horas, e é composto por seis extensões.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho