Correio do Minho

Braga, quinta-feira

- +
Vila Verde: Arranca sábado a Bienal mais internacional de sempre
‘Juntos pelo comércio’ em nome da responsabilidade social

Vila Verde: Arranca sábado a Bienal mais internacional de sempre

Duelo com chancela da Champions

Vila Verde: Arranca sábado a Bienal mais internacional de sempre

Cávado

2020-10-14 às 19h12

Redacção Redacção

Uma das grandes novidades deste ano é a possibilidade de visitar a exposição virtualmente

A Bienal Internacional de Arte Jovem de Vila Verde é inaugurada no próximo sábado e traz muitas novidades, nesta que é já a 11ª edição do maior projeto cultural e artístico do concelho.
Para esta Bienal foram selecionadas 78 obras em diferentes modalidades, de 52 artistas de várias nacionalidades, que tornam esta edição a mais internacional de sempre e uma das mais participativas.
Uma das grandes novidades deste ano é a possibilidade de “visitar” a exposição virtualmente. A partir das 16h00 do próximo sábado, hora da inauguração, todas as obras estarão acessíveis, através de um vídeo que ficará disponível nos diferentes canais de comunicação do evento.
Outra das novidades é que, este ano, a Bienal não fica apenas “dentro de portas”. Até dia 27 de novembro, serão várias as atividades que irão compor um painel artístico inovador, onde todos poderão participar e observar, tal como a Residência Artística de Mónica Mindelis e alguns ciclos de conferências relacionados com a arte.
Na perspetiva do Presidente da Câmara Municipal de Vila Verde, Dr. António Vilela «dadas as circunstâncias, esta é uma bienal com menos “participação” presencial, mas também com mais exposição digital, que irá atingir pessoas de qualquer parte do mundo.
«O nosso grande objetivo com a Bienal é, sem dúvida, projetar o concelho além fronteiras e de dar uma oportunidade aos jovens que querem seguir o caminho artístico.», refere o autarca
Para a Vereadora da Cultura, Educação e Ação Social, Dr.ª Júlia Fernandes, «mesmo neste clima de pandemia, foi possível reinventar a Bienal e adaptá-la aos tempos que correm, tornando-a muito mais digital. As visitas presenciais são, obviamente, muito importantes e continuarão a existir, mas sempre cumprindo as normas impostas pela DGS».
«Esta foi uma das edições que contou com mais participações e, muitas delas, internacionais. O projeto está, assim, a cumprir a sua missão de internacionalização”, afirma Júlia Fernandes
Luís Coquenão, membro do Júri e Diretor Artístico da Bienal, refere que «Foi difícil conseguir eleger os vencedores. Mas considero que, para os artistas, o grande prémio é mesmo participarem na Bienal. Todos eles, cada um à sua maneira, estão aqui por mérito próprio e porque apresentaram uma obra merecedora de fazer parte da exposição».
«Até 27 de novembro, vamos ter um período cultural em Vila Verde, onde teremos oportunidade de falar das obras da Bienal e de outros temas relacionados com a arte, desenvolvendo um pouco o ponto de vista de cada um sobre a mesma», sublinha
Relembramos que o Júri da 11ª edição da Bienal Internacional de Vila Verde atribuiu o 'Grande Prémio da Bienal Internacional de Arte Jovem- Prémio BPI', em ex-aequo, aos artistas Pedro Cunha e Bruno Grilo, que concorreram com as obras "Pedras no Sapato" e "Baía Mar", respetivamente.
As visitas à exposição terão de ser agendadas e poderão ser guiadas já a partir da próxima segunda feira, 19 de outubro e até 27 de novembro.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho