Correio do Minho

Braga, quinta-feira

- +
Vila Verde está a acompanhar idosos e pessoas vulneráveis
Senhoras e senhores, eis Eduardo, a ‘lenda’!

Vila Verde está a acompanhar idosos e pessoas vulneráveis

Na cidade e nas aldeias, pandemia faz renascer os laços de vizinhança

Vila Verde está a acompanhar idosos e pessoas vulneráveis

Cávado

2020-03-21 às 08h03

Redacção Redacção

Município tem no terreno uma acção de monitorização e acompanhamento ao nível médico e social que está a ser agilizado com diferentes entidades e instituições do concelho.

O Município de Vila Verde tem em acção no terreno um programa específico de apoio aos idosos e pessoas mais vulneráveis, assegurando monitorização e acompanhamento de âmbito médico e social, num processo que envolve diferentes entidades e instituições em todo o concelho.
“Ninguém pode ser deixado de lado, sobretudo neste momento excepcional de dificuldade e superação que todos enfrentamos. Estaremos atentos a todas as situações e actuaremos no sentido de minimizar os impactos que esta crise sem precedentes vai provocar na vida das famílias e de todos os vilaverdenses”, assume a vereadora Júlia Fernandes, responsável pelo programa da Acção Social do Município.

A Rede Social, as instituições de solidariedade social, Centro de Saúde, GNR e Juntas de Freguesia e Centro de Saúde, assim como empresas privadas, estão a participar no plano de assistência, que responde também a necessidades de famílias carenciadas e de profissionais de saúde que estão na linha da frente do combate à propagação do Covid-19.
Os serviços de Acção Social do município mantêm disponibilidade permanente, através de atendimento telefónico (pelos números 253 323 002 / 926 288 134) para apoiar “os mais idosos e todos aqueles que precisem de apoio” devido a situações relacionadas com o impacto da luta contra a pandemia.

É também garantida a entrega das prescrições médicas aos idosos e aos doentes crónicos. Numa acção da Rede Social em articulação com todas as IPSS, as Juntas de Freguesia e Centro de Saúde. O objectivo, como indica Júlia Fernandes, é “impedir que estas pessoas mais vulneráveis saiam das suas casas e, assim, tenham acesso aos medicamentos que necessitam sem ter de se deslocarem aos centros de saúde”.
A autarca destaca ainda a intervenção das juntas de freguesia no concelho, que estão a desenvolver estratégias e planos de acção no terreno para apoio aos idosos e a quem mais precisa.

“Juntos vamos conseguir superar!”, salienta Júlia Fernandes, reiterando o apelo ao cumprimento das medidas protecção individual e de contenção e isolamento social contra a propagação do Covid-19.
Relativamente aos idosos que vivem isolados e que se encontram sem retaguarda familiar, nem de vizinhança, verifica-se um acompanhamento específico pelas técnicas da Cruz Vermelha (do Centro Comunitário de Prado), com telefonemas diários para perceber as suas necessidades e fazer chegar tudo o que precisam. São 119 idosos que se encontram sinalizados e estão integrados no Programa Idade Maior, sendo também acompanhados no âmbito deste projeto pela GNR.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho