Correio do Minho

Braga, terça-feira

- +
Vila Verde lembra as 30 mulheres mortas em Portugal em 2020
Presidenciais 2021: Distrital de Braga do PSD enaltece "votação maciça" em Marcelo Rebelo de Sousa

Vila Verde lembra as 30 mulheres mortas em Portugal em 2020

Vila Nova de Cerveira: Surto de Covid-19 já causou 12 mortes no Lar Maria Luísa

Vila Verde lembra as 30 mulheres  mortas em Portugal em 2020

Cávado

2020-11-26 às 12h00

Redacção Redacção

Vila Verde assinalou ontem o Dia Internacional pela Eliminação da Violência Contra as Mulheres em memória pelas 30 mulheres mortas em Portugal em 2020.

Celebrou-se ontem o Dia Internacional para a Eliminação da Violência Contra as Mulheres e para assinalar a data o Município de Vila Verde associou-se à iniciativa da UMAR ‘De luto e em luta pelas mulheres vítimas de femicídio’ e colocou uma faixa preta na fachada do edifício para manifestar o repúdio e a revolta contra a violência doméstica.
Foi ainda colocado de forma simbólica, na escadaria da entrada dos Paços do Concelho, 30 pares de sapatos que simbolizam o número de mulheres assassinadas em Portugal entre o dia 1 de janeiro e 15 de Novembro de 2020: 16 femicídios e 43 tentativas de femicídio em relações de intimidade; 12 assassinatos em contexto de relações familiares; 2 assassinatos noutros contextos. A registar também os 21 filhos que ficaram órfãos, na sequência dos femicídios.
A vereadora da Acção Social, Júlia Fernandes, afirmou que “num ano particularmente difícil, marcado pela pandemia, queremos de forma simbólica lembrar as 30 mulheres mortas em Portugal durante este ano vítimas de violência doméstica” e acrescentou “esta é uma forma de alertar para a violência contra as mulheres que é um fenómeno complexo que atravessa classes sociais, idades e regiões”.
A vereadora destacou também que “estamos de luto e em luta pelas 564 mulheres assassinadas em Portugal desde 2004. Não podemos compactuar com a violência doméstica. Não podemos fechar os olhos enquanto tantas mulheres morrem em cada ano que passa. Vamos unir esforços para que estas acções deixem de fazer sentido na sociedade”.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho