Correio do Minho

Braga, quarta-feira

- +
Vila Verde: Um estímulo à criatividade e ao talento
Bracara Augusta inspira jovens criadores

Vila Verde: Um estímulo à criatividade e ao talento

Ricardo Rio: “Este é um excelente exemplo de reabilitação urbana para a cidade”

Vila Verde: Um estímulo à criatividade e ao talento

Cávado

2020-02-15 às 09h00

Patrícia Sousa Patrícia Sousa

FEVEREIRO, MÊS DO ROMANCE conta “com um programa intenso, mas que vale a pena”. Esta é a certeza do autarca de Vila Verde, António Vilela, que ontem conheceu os novos produtos criados pelos alunos da Escola Profissional Amar Terra Verde.

Óleos essenciais para despertar todos os sentidos, fruta desidratada para acompanhar uma bebida a dois e um pequeno-almoço com sabor a amor. Estes foram os ingredientes principais do início do Dia dos Namorados, celebrado ontem na Escola Profissional Amar Terra Verde (EPATV), que mais uma vez se associou ao programa ‘Fevereiro, Mês do Romance’, promovido pela Câmara Municipal de Vila Verde.
“Com um programa intenso, mas que vale a pena, ‘Fevereiro, Mês do Romance garante uma grande visibilidade para o concelho e para que as pessoas ponham a criatividade e talento a funcionar”, aplaudiu, ontem, o presidente da Câmara Municipal de Vila Verde. António Vilela elogiou a formação que se faz na escola profissional e que “é já ma referência a nível nacional internacional”.
Depois dos alunos da turma do 3.º ano do curso Restaurante -Bar terem apresentado o ‘Love Drink’ e as alunas do 2.º ano do curso de Estética terem dado a conhecer os quatro novos óleos essenciais, a directora pedagógica da EPATV, Sandra Monteiro, destacou que a escola aceita o desafio “com o entusiasmo” dos alunos e dos professores, que brindam, todos os anos, com produtos “inovadores e diferentes”.
Para a directora pedagógica este é um tema que “é muito interessante” trabalhar na escola e os alunos aderem com muito facilidade. “Entendemos que esta é uma boa forma de trabalhar com eles o perfil e áreas de competências, que se prendem à criatividade e ao empreendedorismo, que os jovens têm obrigatoriamente que ter”, justificou Sandra Monteiro, adiantando que os professores organizam-se de forma colaborativa para que este projecto seja possível.
“Fica a experiência, porque o objectivo principal é que o aluno experimente todo o processo de criação do produto”, assumiu a directora pedagógica, referindo que o registo da marca “não é prioridade neste momento”.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho