Correio do Minho

Braga, quinta-feira

- +
Vitória SC celebra centenário
Hospital de Braga assinala Dia Mundial da Osteoporose

Vitória SC celebra centenário

Professor da UMinho no Conselho Superior dos Tribunais Administrativos e Fiscais

Vitória SC celebra centenário

Desporto

2021-09-23 às 06h00

Rui Serapicos Rui Serapicos

Presidente do clube, Miguel Pinto Lisboa, ao discursar no lançamento do programa comemorativo, propôs ideia de que coincida com um “ciclo dourado” do emblema vimaranense.

Inaugurar um mini-estádio, criar para os associados um espaço de sugestões, promover exposições e debates e lançar livros: estas são acções que o Vitória SC vai, na celebração do seu centenário, levar a efeito em 2022.
Fernando Ribeiro, membro da comissão que o clube designou para promover as comemorações, revelou que também haverá homenagens a personalidades que mais deram de si para o desenvolvimento do clube.
Haverá destaque para Neno, o antigo guarda-redes, que aquele responsável considerou “grande embaixador” do Vitória e que, se não tivesse falecido de recente doença súbita, celebraria no dia 27 de Janeiro de 2022 um aniversário redondo de 60 anos.
Para as sugestões dos sócios estará disponível o endereço centenario@vitoriasc.pt, além de ser criado para esse efeito um espaço próprio no site oficial.
Estes são alguns dos primeiros detalhes do programa, ontem lançado no Paço dos Duques de Bragança, devendo em tempo útil ser anunciadas mais acções.
A sessão de ontem serviu também para homenagear sócios com 75 anos de ligação ao clube e anunciar a composição da comissão de honra (ver coluna à direita).
Usaram ainda da palavra o presidente do Vitória SC, Miguel Pinto Lisboa e o arcebispo primaz, Jorge Ortiga, que integra a comissão de honra.
O presidente da direcção, Miguel Pinto Lisboa, salientou a “paixão cada vez mais viva” que o emblema vitoriano suscita na comunidade.
O dirigente vincou o objectivo de que o centenário vá coincidir em termos desportivos com um “ciclo dourado” do Vitória e o projecte “para mais 100 anos”.
Pinto Lisboa realçou a ideia de “momento colectivo” para a colectividade reflectir sobre onde está e ara onde quer ir.
A ideia de reflexão constituiu tema central do discurso de Jorge Ortiga. O arcebispo primaz considerou que a celebração do centenário do clube deverá vir a constituir “oportunidade para reflectir”.
Adiante, o prelado também apelou a autarcas — na plateia estava Domingos Bragança, o presidente da Câmara— e aos dirigentes no sentido de criarem condições para que se faça no desporto a “formação integral” , do ser humano ou seja, para lá da dimensão física, como direito e dever para todos.

Deixa o teu comentário

Usamos cookies para melhorar a experiência de navegação no nosso website. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

Registe-se ou faça login

Com a sessão iniciada poderá fazer download do jornal e poderá escolher a frequência com que recebe a nossa newsletter.




A 1ª página é sua personalize-a

Escolha as categorias que farão parte da sua página inicial.

Continuará a ver as manchetes com maior destaque.

Bem-vindo ao Correio do Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho